Mostrando postagens com marcador moda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador moda. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

PRADA SS15







Vamos iniciar uma relação de honestidade neste post, eu sei que vai doer, muito mais em mim, tenho certeza, mas eu preciso contar. Além do Ethan Hawke, que por sinal é um dos meus maiores ídolos no cinema atual, eu não faço ideia de quem são os outros atores na nova campanha da Prada. Sério! Tenho certeza que são bastante famosos, afinal estão na campanha de uma das maiores marcas de moda de todos os tempos, e são anunciados em todos os sites especializados como astros. Enfim, aqui vai outra. Eu até poderia ter pesquisado o nome deles no Google, já que os nomes estão escritos no final do vídeo e nas fotos da campanha, também poderia ter pego um release ou até mesmo uma review pronta sobre a campanha pra saber o que cada um deles fez, quem são e em que planeta eu estive nos últimos meses pra não saber quem são, mas eu meio que fiquei com preguiça. Não que eu seja preguiçoso, na verdade eu não sou, mas é que não senti que esse deveria ser o sentido do post, o que acabou sendo, mas não é! Eu sei parece confuso, afinal você deve estar se perguntando "Quem ele pensa que é?", mas não me interprete errado, esse post não é erudito em nada, muito pelo contrário. Eu posso até gostar de outras coisas na vida, coisas bem mais sérias como politica, economia, questões sociais, mas um bom entretenimento consegue me fazer gastar algumas horas da minha semana. E eu realmente quero dizer gastar, pois assistir Scandal é uma parte importante da minha semana, ler todas as noticias relacionadas com Beyonce, ou todos os lançamentos pop da semana, ou todos os melhores filmes que estão para serem lançados, ou as melhores entrevistas de talk shows e late nights, ou as melhores performances no BBC radio 1 live lounge, ou as pessoas mais bem vestidas da semana, ou, ou, ou... Assim eu até devo estar parecendo um verdadeiro viciado em entretenimento e talvez seja. Mas se eu não sou um completo desinformado, alienígena, nem too cool for pop. Então como eu posso não saber quem são os hot actors do momento que estão na campanha da PRADA? A resposta é simples TARGET, não a marca de roupas, mas a palavra em inglês que define um público, quase sempre trabalhado de forma segmentada. A PRADA elencou 4 atores e eu só reconheci o Ethan Hawke porque me identifico com o trabalho dele, com seus filmes, e provavelmente todos os outros atores trabalhem em grandes séries ou produções cinematográficas direcionadas à outros públicos. É como quando sua avó reconhece aquele artista que aparece no programa do Raul Gil ou no TV fama, que fez sucesso nos anos 70 e você sequer sabe quem é. As marcas de moda trabalham a segmentação como nenhum outro mercado, não apenas nas questões de gênero muito presentes nas campanhas, mas principalmente com faixa etária. Como disse não li nada sobre a campanha, mas só de assistir o vídeo acima consigo ver que são quatro atores de diferentes vibes, com diferentes idades, com diferentes estilos, com diferentes tipos de roupa. Cada um representa um publico que a marca quer atingir, ou, cada um representa um tipo de homem que a marca quer representar nesta edição. Eu provavelmente deveria estar discorrendo sobre as roupas fantásticas, sobre o trabalho lindo de fotografia e sobre como eu amaria vestir quase todas as peças do último desfile de primavera e verão da PRADA, mas isso seria chover no molhado, não acham?




Minha imagem favorita de toda a campanha. 




segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

£5300







Uma das coisas mais bacanas da moda, enquanto mercado, é ver o quanto ela pode ir se dividindo em nichos. ALEXANDER WANG pode até ser um dos designer mais celebrados e populares da atualidade, como líder de sua própria marca, homônima, como diretor criativo na Balenciaga e com uma recente parceria de sucesso com a H&M, mas esquecendo esse último fato, nada sobre Alexander está fora do nicho LUXO. O estilista e seu time sabem aproveitar como ninguém sua popularidade entre celebridades, blogueiras e editoras de moda pra aumentar ainda mais seu portfólio neste segmento. Fato é que nesta semana se converteu em design de mobília e lançou uma parceria com a gigante dos designs POULTRONA FRAU. Acho genial um estilista tão ligado a cena urbana nova iorquina, ao underground assinar pecas com valor estimado de £5300. Não posso dizer se a peca é exatamente o que as pessoas amam como design sofisticado, mas acredito que ela será um sucesso entre o seleto público que consegue pagar por ela. Eu ainda ficaria com as poltronas dos irmãos Campana, já que é pra sonhar, né?! 



E você? Qual sua peca de design dos sonhos? 













quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

PROENZA SCHOULER





Estou viciado em estudar marcas, já que preciso entender de branding, mercados e estratégias de marketing, pra profissão de marketeiro. E já que MODA é minha paixão estou estudando as marcas gringas de moda que gosto. Hoje enquanto buscava por Fashion Branding no YouTube me deparei com esse Microdocumentário com Jack McCollough e Lazaro Hernandez contando o conceito criado pra sua marca, que vai do nome ousado e praticamente impronunciável a forma de se comunicar com seu publico, suas criações.


Vale a pena assistir (Se você entender inglês, porque não tem legenda em PT!)





Gostaram? A internet é cheia de coisas legais. O que vocês tem assistido por aí?





terça-feira, 27 de janeiro de 2015

NORMCORE





Normcore é a #fashionword da vez! Todos fashionistas insistem em repeti-la a cada 3 construções de frases que levem a palavra estilo como sujeito. É engraçado como o mundo da moda se vicia tão rápido por termos utilizadas repetidamente pelas revistas gingras. Normcore, nada mais é do que a versão 2014/2015 do conceito "less is more", ou também conhecido como minimalismo. Segundo os fashionista se adequam ao estilo Normcore aquelas pessoas que aparentam não seguir nenhuma moda e investem em conjuntos que de tão óbvios se tornam inusitados. Se vocês surfarem pelos sites de moda e pesquisarem a palavra normcore certamente se depararão com fotos do Steve Jobs (Turtleneck + jeans), Emmanuelle Alt (calça de couro + camiseta), Francisco Costa (Camisa branca) e com grande destaque Mark Zuckerberg, com sua ilustre camiseta cinza. Graças a revelação de Mark, dizendo que utiliza a mesma camiseta todo dia como forma de poupar sua mente para tonar o menor numero de decisões desnecessárias possível, o termo que já despontava no mundo da moda tomou folego e promete ficar, pelo menos até a chegada da nova #fashionword. Alguma sugestão de qual será? 






Bets are in DETOX!!!









segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

MARGIELA by GALLIANO






Eu me lembro estar sentado no meu estágio, vagar por minha página no Google Reader e simplesmente não acreditar que alguém com tanto talento, tanta bagagem cultural, quanto John Galliano, pudesse estar sendo tão ridículo ao fazer comentários xenofóbicos que lhe custaram anos de carreira e brilhantismo à frente de uma das mais importantes marcas de moda no mundo, a DIOR. Como um grande admirador de seu trabalho primeiro torci para que não fosse verdade, depois torci para que fosse algum mal entendido, infelizmente nenhum destes dois pensamentos acabaram sendo válidos. Galliano, estava fora da DIOR, banido da indústria da moda que ele ajudou a construir, Galliano havia errado. Me lembro que ainda era uma criança e a primeira vez que vi um desfile do Galliano na TV foi simplesmente incrível. Na época, é claro, não fazia ideia de quem se tratava e da importância de seu trabalho no momento, mas era algo tão lindo que certamente aquela imagem fará parte da minha formação pra sempre. Felizmente, hoje, na moda, foi um dia para celebrar. Galliano está de volta e continua brilhante. Sua volta foi cercada por rumores, criticas, elogios. Paradoxalmente todos esses lados fazem sentido quando se trata do estilista, afinal seu talento parece ser infinito, assim como aparentou ser seu preconceito. Mas eu não quero julgá-lo neste texto afinal é tempo de uma segunda chance, esta dada por uma marca que não só tem tudo a ver com John Galliano, como ocupa uma importante posição junto a jovens do mundo inteiro interessados por moda. John Galliano mostrou ao mundo hoje o que uma segunda chance, cedida a um imenso talento quanto o dele é capaz de mostrar. Uma coleção impecável, digna de um gênio da alta costura. Tudo o que há de mais atual na moda, mas com um olhar sempre no amanhã. A mulher mostrada pelo estilista é quase um sonho, uma mulher que não existe, mas que irá existir.  A torcida agora é: John Galliano não pise na bola outra vez!!



quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

001





Entre idas e vindas, não perco o costume de me desculpar com quem lê o blog e também não perco a oportunidade de agradecer quem reclama pela falta de posts. A grande maioria são queridos amigos que utilizam as minhas postagens como uma forma de contato na ausência. Eu sempre tento manter assiduidade nas postagens, mas a vida corrida deixa tudo bem difícil. Quiçá terei tempo pra postar ao menos uma vez na semana e assim matar a saudade de escrever um pouco agora que o ano está acabando. E escrever algo que não fosse um e-mail corporativo, formal, cheio de prezados, prezadas e numerais. Um blog cotidiano, como o meu, é pra ser leve, divertido e seguir as fases que tenho passado. Talvez por isso ele tenha sofrido tanto nos últimos meses pela falta de conteúdo, já que os dias andam meio atribulados.

Acho extremamente interessante quem consegue dedicar cem por cento de seu tempo livre pesquisando e fazendo postagens. Sou um viciado em leitores de RSS e há quase um ano uso o feedly.com como minha principal fonte de informações pra negócios, cultura, artes e moda. Naquela miscelânea de artigos, tenho achado coisas super interessantes que certamente foram pouco compartilhadas, principalmente por blogs no Brasil. Mas algumas coisas me chamam ainda mais atenção, e essas tenho guardado por que são ótimas inspirações pra vid
a e aos poucos vou compartilha-las com vocês, mas a internet é estratosférica e não quero ser apenas mais um reprodutor de conteúdo então vou tentar postar mais coisas minhas, questões pessoais, coisas do trabalho, inspirações, leituras e alguns trabalhos.

Neste momento estou bastante interessado em desenvolver minha escrita e meu conhecimento teórico sobre as coisas que eu gosto. Então pode ser que meus textos se alonguem um pouco, principalmente quando tentar argumentar sobre meu ponto de vista em tais assuntos. Mas vou tentar alternar meus posts entre textos enormes e postagens leves, como o último com o vídeo calminho do Kindness com a Robyn.

Nos 
últimos dias tenho preparado minha lista de "desejos" para  ano de 2015, já escrevi e reescrevi vários itens, quase todos tem relação direta com a minha melhor utilização de tempo e aprendizagem. Não nego que conhecimento me fascina, mais do que qualquer outra coisa nessa vida, mas que o foco nos últimos meses vinha sendo o trabalho. Então, para 2015 a meta é manter o ritmo e produção no trabalho, mas com melhor tempo pra estudos, pros livros, pros readers, etc.

Nos últimos meses não me afastei apenas dos estudos e do blog! Toda responsabilidade vem com um preço e as minhas me obrigaram a me afastar da Moda. Em Ribeirão Preto já não se tem um vasto circuito, e nessa corrida diária pra entregar o job fica difícil criar uma agenda para acompanhar as novidades, ir nos eventos, rever as pessoas, conversar sobre o assunto! Meu único envolvimento com a moda foi a leitura, esclarecedora, do projeto Moda Inclusiva, projeto que provoca discussões sobre acessibilidade na moda e a inserção deste importante público no plano de negócios das marcas de vestuário e beleza no Brasil. E, não posso me esquecer que, pela primeira vez em três temporadas acompanhei a repercussão de alguns desfiles da São Paulo Fashion Week, como outsider fico completamente atordoado com o calendário, mas dessa vez consegui pegar o revival da TNG, a celebração das ruas da Colcci, a incrível Gisele e só. Mas ainda sinto falta das reviews quase em tempo real da Erika Palomino, com detalhes de cada detalhe dos desfiles.
Felizmente, com um sorriso das férias no meu horizonte, ando inspirado e sem medo de falhar com o blog pelos próximos meses. Retomo os trabalhos, mais confiante do que nunca, mais criativo do que nunca e mais interessado do que nunca. Acho que logo mudo logo, template, mudo tudo pra fazer o blog ficar cada vez mais legal de ler. E conto com a opinião sincera dos amigos pra melhorá-lo cada dia.
Beijos e até logo.









segunda-feira, 28 de abril de 2014

A MODA, A ARTE E AS MARCAS.



A moda é sempre posta de frente com seus fantasmas. Não é por acaso que estilistas e marcas utilizam de assuntos polêmicos no meio da moda como forma de realimentar, se não o mercado, ao menos o sistema criativo da mesma. Assuntos como beleza, corpo, etnia, sexualidade, religião, entre outros, dão vida a desfiles e campanhas de grandes marcas ao mesmo tempo que discutem e debatem tais assuntos. Mas nenhum assunto é tão polemico na moda quanto ela mesma, ou, esclarecendo meu pensamento, Moda é arte? Há quem defenda que sim, e jure de pés juntos que faz moda em nome da liberdade de expressão e pelo amor a esta "arte milenar" que é a fabricação de vestimentas e ornamentos. Muito se discute sobre o assunto nas faculdades de moda, que defendem que a moda é arte, mas que também há arte longe da moda e estas podem se retroalimentar. Quase toda prestigiada faculdade de artes, mundo a fora, possui uma faculdade de moda, e pregam que sem a arte a moda não sobrevive. Há debates e seminários, que discutem como a moda arte pode se desvencilhar da moca comercio, ou o contrário, ou diferente, como a arte pode tirar proveito do comercial. A linha entre uma e outra é tão tênue que nas ruas onde, genuinamente, as expressões de arte são oriundas da população, da massa, a moda arte e comercio estão alí. Há quem na moda se julgue artista e quem na moda se declare comercial. Há quem seja artista da fotografia e comercial na moda, pois na moda tem mais dinheiro. Há quem se vê comercial na moda e artista na moda. Mas vestir ou vestir-se é arte? Roupas são obras primas? Arte é comercio? Luxo é arte? o que é arte? Poderia algo inspiradona arte ser arte também? Perguntas que subjetivam respostas, assim como a "O que é o Belo?", provocada por Platão.


Recentemente a marca de sapatos de luxo Christian Louboutin, em parceria com o fotografo Peter Lippmann, tocou nessa ferida da moda novamente ao fotografar sua coleção de sapatos como parte integrante de quadros Impressionistas. Quadros de Vincent van GoghPaul Cézanne Claude Monet e Camille Pissarro foram recriados com flores verdadeiras e fotografados com sapatos correspondentes, que combinavam suas estampas e cores com a obra relacionada., numa espécie de afirmação destas peças como arte. O resultado é sem dúvida uma das campanhas mais bonitas e provocativas dos últimos tempo, não que me pareça ter sido essa a intenção da marca, essa é uma leitura pessoal, mas de qualquer forma a campanha poderia trazer de volta esse questionamento. E você o que acha sobre Moda e arte?





FotoS © Peter Lippmann / Christian Louboutin SS14.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

OFF |Primavera|Verão|Outono|Inverno| WHITE




Minimalismo e elegância, duas matrizes que fazem com que o Off White funcione, como estilo, mesmo longe dos hospitais ou de um velório indiano.  A tendência que se consolidou nas últimas temporadas e se define pela ausência de cores na composição do vestuário, sendo o branco usado em todas as peças, aparece neste lindo editorial de John Halls para a Details.  Acho que esse, apesar de curto, foi um dos posts mais demorados de escrever. Eu tentei por diversas vezes escrever este post, mas é tao difícil explicar uma tendência sem soar um idiota. Tenho dificuldades com tendências!









domingo, 15 de abril de 2012

Bem vindos ao "Brazil", Brasileiros!



Aparentemente apenas nós mesmos, brasileiros, ainda não decidimos deixar de lado um pouco nossa cultura de colonizados e começamos a olhar o Brasil como um novo ditador de tendências mundiais e mais, como referencia mundial de estilo de vida. Somos, sempre fomos, um pais estereotipado internacionalmente, o país do Pelé, futebol, mulher gostosa, biquíni e havaianas. A última edição da Ideat revela detalhadamente a cena do design brasileiro, com a edição inteira sobre o assunto.





















Bem vindos ao "Brazil", Brasileiros!



Aparentemente apenas nós mesmos, brasileiros, ainda não decidimos deixar de lado um pouco nossa cultura de colonizados e começamos a olhar o Brasil como um novo ditador de tendências mundiais e mais, como referencia mundial de estilo de vida. Somos, sempre fomos, um pais estereotipado internacionalmente, o país do Pelé, futebol, mulher gostosa, biquíni e havaianas. A última edição da Ideat revela detalhadamente a cena do design brasileiro, com a edição inteira sobre o assunto.







sábado, 17 de março de 2012

Alô Alô Marciano







                       Elis atualizadíssima na moda e política de 2012, em plenos anos 70.





Alô Alô Marciano







                       Elis atualizadíssima na moda e política de 2012, em plenos anos 70.





domingo, 26 de fevereiro de 2012

Sem medo de tentar o novo.



A internet pode ser um triunfo quando se trata em informação e trabalho. Ela abre portas pra que a gente descubra novas formas de se expressar e para que possamos primorar nossos conhecimentos a cerda de algo. Moda sendo minha paixão me cerco todos os dias com todas as formas de informação possível, que vão de sites de novos designers tão desconhecidos e inexperientes quanto eu até aos de grandes marcas de luxo que disponibilizam exatamente o que a gente não tem, conhecimento de quem faz a moda acontecer. Olhando o exemplo dessas grandes marcas e a luta desses novos designers, assim como muitas outras informações que coleto na internet ( acredito ser muito importante a gente ter não apenas acesso, mas informação generalista sobre o mundo que vivemos, politica, mercado, arte e cultura, principalmente por que hoje ele todo é globalizado) consigo moldar minha forma de trabalhar. Certamente apressado, mas dando um passo de cada vez. Oportunidades chegam para quem às procuram, mas colocar os carros na frente dos bois nunca soa uma coisa boa a se fazer. A internet  pra mim serve como uma janela de interesse é nela que consigo mostrar as coisas que gosto que faço como lazer ou focado no meu futuro, mas minha vida profissional na área apesar de já iniciada no momento em que comecei a desenvolver meus conhecimentos não está nem perto de se tornar literalmente profissional. 
Nos últimos meses o óssio me fez tentar muitas coisas que ainda não tinha feito, muita coisa certamente sem muito sentido do que eu estava fazendo, mas certamente influenciado por todos esses cacos que recolhi durante o último ano, que obviamente foi meu ano de aprender moda. Paixão, conhecimento e trabalho se misturam facilmente hoje em dia, justamente por conta da internet, mas são coisas distintas umas das outras, podem até se interligar em certo momento da vida, mas é necessário que todas as peças estejam juntas. Otimista, eu acredito muito em mim e em toda essa loucura que apesar de tantos maus créditos eu insisto em levar adiante como objetivo de vida. Desenhar algo que você acredita que alguém um dia vai querer usar é muito hipotético, mas muito revelador ao mesmo tempo. O desafio de se tornar atrativo e crescer é pessoal e só se consolida nessas tentativas, pequenas, assim como essas ilustrações em uma agenda, a cada novo livro lido, novo projeto escrito e antigos planos abandonados dando lugar á novos.















Eu nunca em toda minha vida havia havia desenhado ou sequer imaginado algo de conteúdo oriental, longe de ser algo original, me arrisquei no simples mas agradável vestido que imita um quimono sem dobras, fitas e até a tradicional gola. O cabelo é a imagem impregnada de Susie Bubble que nunca sai da minha mente, é pensar em uma oriental, certamente me lembro dela! A segunda Ilustração na verdade é um vício que eu tenho, o de desenhar miniatura de croquis nas folhas de caderno da faculdade, eu sempre estrago as folhas com matérias pois nem sempre eles saem nem mesmo bons, mas esse na agenda eu gostei pelos detalhes dos pés. O terceiro desenho eu não consigo me lembrar a referência, agradeceria se alguém se lembrasse por mim, mas há um design parecido e eu só adaptei o babado pra ficar maior. O quarto desenho era uma série deles, eu estava desenhando um por encomenda, que não é esse, mas bem parecido, e tive essa ideia enquanto esperava um ônibus, inspirado numa mala (wtf). Eu nunca descarto uma inspiração, eu nunca descarto uma referência, prefiro fazer um rabisco do que deixar aquele sentimento passar. Espero que vocês tenham gostado dos desenhos e da explicação de cada um. Logo teremos coisas, digamos, mais profissionais mal posso esperar pra mostrar tudo pra vocês. 












Sem medo de tentar o novo.



A internet pode ser um triunfo quando se trata em informação e trabalho. Ela abre portas pra que a gente descubra novas formas de se expressar e para que possamos primorar nossos conhecimentos a cerda de algo. Moda sendo minha paixão me cerco todos os dias com todas as formas de informação possível, que vão de sites de novos designers tão desconhecidos e inexperientes quanto eu até aos de grandes marcas de luxo que disponibilizam exatamente o que a gente não tem, conhecimento de quem faz a moda acontecer. Olhando o exemplo dessas grandes marcas e a luta desses novos designers, assim como muitas outras informações que coleto na internet ( acredito ser muito importante a gente ter não apenas acesso, mas informação generalista sobre o mundo que vivemos, politica, mercado, arte e cultura, principalmente por que hoje ele todo é globalizado) consigo moldar minha forma de trabalhar. Certamente apressado, mas dando um passo de cada vez. Oportunidades chegam para quem às procuram, mas colocar os carros na frente dos bois nunca soa uma coisa boa a se fazer. A internet  pra mim serve como uma janela de interesse é nela que consigo mostrar as coisas que gosto que faço como lazer ou focado no meu futuro, mas minha vida profissional na área apesar de já iniciada no momento em que comecei a desenvolver meus conhecimentos não está nem perto de se tornar literalmente profissional. 
Nos últimos meses o óssio me fez tentar muitas coisas que ainda não tinha feito, muita coisa certamente sem muito sentido do que eu estava fazendo, mas certamente influenciado por todos esses cacos que recolhi durante o último ano, que obviamente foi meu ano de aprender moda. Paixão, conhecimento e trabalho se misturam facilmente hoje em dia, justamente por conta da internet, mas são coisas distintas umas das outras, podem até se interligar em certo momento da vida, mas é necessário que todas as peças estejam juntas. Otimista, eu acredito muito em mim e em toda essa loucura que apesar de tantos maus créditos eu insisto em levar adiante como objetivo de vida. Desenhar algo que você acredita que alguém um dia vai querer usar é muito hipotético, mas muito revelador ao mesmo tempo. O desafio de se tornar atrativo e crescer é pessoal e só se consolida nessas tentativas, pequenas, assim como essas ilustrações em uma agenda, a cada novo livro lido, novo projeto escrito e antigos planos abandonados dando lugar á novos.


Eu nunca em toda minha vida havia havia desenhado ou sequer imaginado algo de conteúdo oriental, longe de ser algo original, me arrisquei no simples mas agradável vestido que imita um quimono sem dobras, fitas e até a tradicional gola. O cabelo é a imagem impregnada de Susie Bubble que nunca sai da minha mente, é pensar em uma oriental, certamente me lembro dela! A segunda Ilustração na verdade é um vício que eu tenho, o de desenhar miniatura de croquis nas folhas de caderno da faculdade, eu sempre estrago as folhas com matérias pois nem sempre eles saem nem mesmo bons, mas esse na agenda eu gostei pelos detalhes dos pés. O terceiro desenho eu não consigo me lembrar a referência, agradeceria se alguém se lembrasse por mim, mas há um design parecido e eu só adaptei o babado pra ficar maior. O quarto desenho era uma série deles, eu estava desenhando um por encomenda, que não é esse, mas bem parecido, e tive essa ideia enquanto esperava um ônibus, inspirado numa mala (wtf). Eu nunca descarto uma inspiração, eu nunca descarto uma referência, prefiro fazer um rabisco do que deixar aquele sentimento passar. Espero que vocês tenham gostado dos desenhos e da explicação de cada um. Logo teremos coisas, digamos, mais profissionais mal posso esperar pra mostrar tudo pra vocês. 












domingo, 15 de janeiro de 2012

Relato: Os culpados



É incrível como a internet nos abre caminhos pra outros mundos, outras realidades quando bem utilizada.  Me lembro quando comecei a escrever meu primeiro blog há 7 anos atrás, ele era um espaço pra que eu pudesse guardar meu poemas, me descobri na linguagem escrevendo aqueles poemas. Logo depois fiquei insatisfeito de escrever somente as minhas coisas queria opinar e falar o que eu achava do que as outras pessoas faziam, daí criei um outro blog desta vez com cultura geral e meus textos. Me lembro que nessa época foi que eu comecei a me interessar por moda, mas eu sempre tive medo de explorar esse lado, então parti pra música, eu sempre soube que tinha uma veia artística, criativa, na minha infância eu me encantava em ajudar minha mãe com seus artesanatos e minhas avós nas costuras, até na escola não havia um projeto cultural que eu não quisesse participar. Mas neste ponto não enxergava nada além de hobbies de criança. A Publicidade foi um divisor de águas, pois não há curso mais integrado com outras áreas do que a PP, ela me me permite perambular pela sociologia, filosofia, as artes visuais nas mais diferentes formas, pela economia, pela gestão, pelos milhares de poros da moda. Principalmente neste momento tão bom do meu país, não há nada melhor do que a certeza de ter escolhido, querido, as coisas certas pra mim. Ultimamente, tenho me interessado pelas artes plástica, tanto em minhas leituras quanto nos meus passa tempos. Uma vez meu professor e amigo, Cordeiro de Sá, disse pra que a gente nunca jogasse nossos rabiscos fora, em algum momento de nossas vidas isso pode ser útil, assim como são poemas de gaveta pros poetas, demos pros músicos, e que todos nós podemos desenhar é só querer. Foi aí que eu comecei a fazer meus rabiscos, em 2010. E quanto mais eu fazia e postava na internet, mas eu queria fazer. Na internet se encontra muitos livros e revista pra quem deseja aprender a desenhar, principalmente ilustração de moda, o que é o meu caso. Não sou um Desenhista, ainda, mas pra quem começou com homenzinhos palito até que eu evolui.





Lykke li
é sempre uma artista pra gente ficar de olhos, seja cantando suas canções, fazendo seus covers, seu vídeos ou suas estratégias de divulgação de trabalho. Foi ao som de Tonight que eu fiz os desenhos deste post então acho que nada melhor do que ouvir o vídeo vendo os desenhos.


  




 














Relato: Os culpados



É incrível como a internet nos abre caminhos pra outros mundos, outras realidades quando bem utilizada.  Me lembro quando comecei a escrever meu primeiro blog há 7 anos atrás, ele era um espaço pra que eu pudesse guardar meu poemas, me descobri na linguagem escrevendo aqueles poemas. Logo depois fiquei insatisfeito de escrever somente as minhas coisas queria opinar e falar o que eu achava do que as outras pessoas faziam, daí criei um outro blog desta vez com cultura geral e meus textos. Me lembro que nessa época foi que eu comecei a me interessar por moda, mas eu sempre tive medo de explorar esse lado, então parti pra música, eu sempre soube que tinha uma veia artística, criativa, na minha infância eu me encantava em ajudar minha mãe com seus artesanatos e minhas avós nas costuras, até na escola não havia um projeto cultural que eu não quisesse participar. Mas neste ponto não enxergava nada além de hobbies de criança. A Publicidade foi um divisor de águas, pois não há curso mais integrado com outras áreas do que a PP, ela me me permite perambular pela sociologia, filosofia, as artes visuais nas mais diferentes formas, pela economia, pela gestão, pelos milhares de poros da moda. Principalmente neste momento tão bom do meu país, não há nada melhor do que a certeza de ter escolhido, querido, as coisas certas pra mim. Ultimamente, tenho me interessado pelas artes plástica, tanto em minhas leituras quanto nos meus passa tempos. Uma vez meu professor e amigo, Cordeiro de Sá, disse pra que a gente nunca jogasse nossos rabiscos fora, em algum momento de nossas vidas isso pode ser útil, assim como são poemas de gaveta pros poetas, demos pros músicos, e que todos nós podemos desenhar é só querer. Foi aí que eu comecei a fazer meus rabiscos, em 2010. E quanto mais eu fazia e postava na internet, mas eu queria fazer. Na internet se encontra muitos livros e revista pra quem deseja aprender a desenhar, principalmente ilustração de moda, o que é o meu caso. Não sou um Desenhista, ainda, mas pra quem começou com homenzinhos palito até que eu evolui.





Lykke li
é sempre uma artista pra gente ficar de olhos, seja cantando suas canções, fazendo seus covers, seu vídeos ou suas estratégias de divulgação de trabalho. Foi ao som de Tonight que eu fiz os desenhos deste post então acho que nada melhor do que ouvir o vídeo vendo os desenhos.


  


terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Ideas make me see the world, the world makes me have Ideas.












Been apart from a lot of things has also made work harder, the coolest thing on it is that I have enjoyed this. For sure I will have a hard year this one, and beginning without laziness it's a great gift from god. I do like to work on those projects, it's a lot of how I see the world, the fashion world as well. They are the bright of new ideas that are just about to come real.














segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Meu processo criativo, parte dele.







"When I look back on my life, it's not that I don't want to see things exactly as they happened,
 it's just that I prefer to remember them in an artistic way"
                                                                                     - Gaga















A frase acima não tem nada a ver com o post, todavia é real que olhar pras coisas de forma artística é um caminho. Toda vez que eu me vejo no processo criativo de alguma coisa, trabalhos da faculdade, meus projetos pessoais, posts pro blog, muitas coisas me servem de referência, algumas não tão explicitamente quanto outras, mas todas a sua maneira contribuem pro resultado final do trabalho. Atualmente minhas inspirações são muitas e vão de tendências como androginia e colorblock, músicas, pras imagens acima especialmente o clima roker oitentista do Born This Way da Gaga, mas no geral toda e qualquer coisa 80 tá valendo, além de filmes, fotografias, pinturas e cavalos, sim eles são a paixão da minha vida. Com tanta coisa na cabeça a gente acaba misturando um pouco de tudo, o que torna o trabalho quase único. No final de tudo se não recebemos ovações ou recompensas no mínimo conhecimento adquirimos. O próximo verão tá longe, mas é nele que penso. Na moda é assim, com um projeto inverno na gaveta a gente arregaça às mangas, se apega aos livros e aos desenhos pra criar o futuro. Festas, cores, 80's, a noite, com certeza. Mas enquanto isso não vem, abaixo está uma canção magnífica de Nadeah, referência "velha", ela era do inverno.













Twitter | Facebook












Meu processo criativo, parte dele.







"When I look back on my life, it's not that I don't want to see things exactly as they happened,
 it's just that I prefer to remember them in an artistic way"
                                                                                     - Gaga




A frase acima não tem nada a ver com o post, todavia é real que olhar pras coisas de forma artística é um caminho. Toda vez que eu me vejo no processo criativo de alguma coisa, trabalhos da faculdade, meus projetos pessoais, posts pro blog, muitas coisas me servem de referência, algumas não tão explicitamente quanto outras, mas todas a sua maneira contribuem pro resultado final do trabalho. Atualmente minhas inspirações são muitas e vão de tendências como androginia e colorblock, músicas, pras imagens acima especialmente o clima roker oitentista do Born This Way da Gaga, mas no geral toda e qualquer coisa 80 tá valendo, além de filmes, fotografias, pinturas e cavalos, sim eles são a paixão da minha vida. Com tanta coisa na cabeça a gente acaba misturando um pouco de tudo, o que torna o trabalho quase único. No final de tudo se não recebemos ovações ou recompensas no mínimo conhecimento adquirimos. O próximo verão tá longe, mas é nele que penso. Na moda é assim, com um projeto inverno na gaveta a gente arregaça às mangas, se apega aos livros e aos desenhos pra criar o futuro. Festas, cores, 80's, a noite, com certeza. Mas enquanto isso não vem, abaixo está uma canção magnífica de Nadeah, referência "velha", ela era do inverno.













Twitter | Facebook












RAINERX Google+ page contents