Mostrando postagens com marcador estilo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador estilo. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O QUE HÁ DE ERRADO COM O STREET STYLE?


Talvez uma das coisas mais legais das semanas de moda, seja a montanha de fotos de street style que rola durante elas. Pode ser das modelos na entrada dos desfiles, dos editores de moda passeando "despretensiosamente" pelo hotspot dos fotógrafos, ou de bloggers e convidados dos desfiles, que investem tempo, muito trabalho de PR, criatividade e estilo para conseguir aquela foto de capa no vogue.com, gq.co.uk, vogue.it, e muitos outros. E apesar das duras criticas a esse novo momento da moda, pelos mais importantes  especialistas do setor, é impossível negar que a carga de informação que essas fotos trazem acaba sendo maior do que as dos shows. 





O jornalista Tim Dowling ,do The Guardian, porém, quis viver na pele o que é vestir as principais tendências que predominam essas fotos e o resultado é um experimento cômico, critico, mas bem estiloso. A gente sabe que várias tendencias,ou truques da moda são feitos apenas para que as pessoas fiquem bem na foto ou sejam fotografados, mas muitas delas são pouco usáveis, quando a questão é conforto e mobilidade.

"Colocar o seu casaco sobre os ombros como uma capa não é nova , mas ninguém costumava chamá-lo shoulder-robing. A única coisa nova sobre isso é que, aparentemente, ele não é mais estúpido." Tim Dowling


Dowling, também explicou colo ele se sentiu usando essas roupas, desta maneira,  e com um tom de humor explicou por que ele não usaria algumas dessas regras. Vale muito a pena conferir todos os looks e comentários que ele fez. 






QUAL TENDÊNCIA DE STREET STYLE VOCÊ MENOS GOSTA? ME CONTA NOS COMENTÁRIOS, QUE EU CONTO QUAL É A  QUE EU DETESTO!








terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

5 REGRAS DE ESTILO QUE NÃO CHEGARAM A 2016.

Falar em regras de estilo em pleno ano 2016 é estar disposto a cometer um erro, mas não é por que por que as regras se refinaram e se tornaram ainda mais difíceis, e sim por elas praticamente não existirem. Caro que algumas ocasiões e ambientes ainda exigem certos tipos de vestuários, mas esses momentos estão se tornando tão raros que até mesmo advogados, CEOs, e outros profissionais com cargos importantes estão aproveitando melhor as opções que a moda oferece hoje em dia. Esse movimento fez com que algumas regras, que há muito tempo eram cumpridas à risca, perdessem a força e não cruzassem a marca da 00:00 do dia 1º de janeiro:

1) CALÇAS DE ALFAIATARIA PEDEM CINTOS E SAPATOS DE COURO, ENTÃO DÊ ISSO A ELAS. Quando pensamos num traje de alfaiataria, talvez um dos primeiros elementos que tínhamos em mente para compor o look fossem sapatos e cintos de couro, até que tudo mudou. Os homens mais influentes no mundo do street style começaram a utilizar a alfaiataria para compor estilos mais esportivos, utilizando tênis, sandálias, chinelos e muitas vezes abolindo o cinto da composição. Não é difícil ver nas principais semanas de moda, dentro e fora das passarelas, trajes completos de alfaiataria que são acompanhados por tênis de corrida. Os cintos se tornaram completamente opcionais, independente do estilo de calça que você estiver vestindo.

2) COMBINE SAPATOS E CINTOS, COMO UM LINDO CASAL. É difícil explicar que essa regra não chegou em 2016, já que ela ainda é muito utilizada, mas acontece que nos dias de hoje ela é mais uma regra e sim uma zona de conforto, os homens a utilizam por ser segura, discreta e garantir uma aparência harmônica, mas ela é dispensável. Grandes grifes, apresentam composições inusitadas de sapatos e cintos completamente diferentes, mas que acabam harmonizando o visual.

3) SE VOCÊ ESTIVER DE CALÇA, USE MEIAS. Nem todo sapato é desenhado para que você o use com meias, e no começo apenas os italianos, na sabedoria de sua sprezzatura, perceberam esse fato. Mas a moda foi se espalhando e hoje muitas pessoas utilizam, em certas ocasiões, a meia apenas como item de higiene. Há meias desenhadas especialmente para esses sapatos mais abertos, com o peito do pé mais aberto, que não aparecem. Retirar a meia da composição do visual, deixa as coisas mais leves, despojadas e até mesmo elegantes. Na maioria das vezes esse pedacinho de pele a mostra é utilizado como truque pois deixa a silhueta mais longilínea.

4) SE VOCÊ ESTIVER DE MEIAS, COMBINE COM SUA CALÇA. Se você não dispensa utilizar uma meia, o que acha de deixa-la mais divertida ou menos óbvia? As opções de meias vão das estampadas, coloridas e com texturas até as com aplicações. Se a intenção for deixar o visual mais leve, mas ainda manter a seriedade você pode optar por variações de tons de bege, preto, cinza e branco.


5) GRAVATAS SÃO INDISPENSÁVEIS PARA TERNOS. Talvez uma das regras mais importantes, para aqueles que ocupam cargos executivos e estão entusiasmados com a evolução da moda no ambiente corporativo, seja a dispensa da gravata no traje formal, geralmente o terno. O declínio dessa regra começou com a permissão para que executivos utilizassem um traje um pouco menos formal nas sextas-feiras, ou como é conhecida Casual Friday, o que já garantiu certo alivio para os profissionais. Com mercados como tecnologia, comunicação e arte crescendo a tendência foi criando força e hoje já ultrapassou, em muitas empresas, a barreira da sexta-feira. O terno sem gravata é o NOVO FORMAL, atualizado, mais leve e ainda sim elegante. Diversos designers apresentam em seus desfiles versões de costumes completos sem gravata, indicando que não é só tendência e sim uma evolução. 










Qual regra você já  aboliu do seu estilo? Me conta nos comentários!


domingo, 15 de maio de 2011

Modas, quem está livre?


Eu tenho notado que as pessoas andam meio de saco cheio das modas, meus olhos se abriram devido minhas leituras  constantes em busca de resposta pro meu futuro TCC, Gucci virou quase que capa oficial de todas as publicações existentes no mercado , e a Prada acompanhou, a Chanel tem sido alvo de ódio de fashionistas mundo a fora. Nesse meio de coisas que vem e vão tão rápido, que um dia estão in e outro estão out, onde o over ganhou espaço ao lado do minimal, não é facil enxergar a moda com seus próprios olhos e seguir seus próprios gostos, seguir a moda se tornou involuntariamente, involuntário, sem medo de redundar.
Não há como não seguir a moda, mesmo se vestindo como se quer, todos fazem parte de um grupo e se não seguimos as modas das mags por aí, seguimos as modas do grupo ao qual pertencemos. Aquele que diz: "eu me visto como me sinto bem, não sigo a moda!" mente sem intenção de mentir.  Eu mesmo, gosto de inovar e pra mim tudo andava muito bobo, pois eu não queria exagerar mas não aguentava mais me vestir da mesma forma, até que  renasce (E vale a pena prestar atenção nessa palavra quando se pensa em moda atualmente: RENASCER) com força total a Moda do color block, que atualmente é a unica que me empolga e me apetece a experimentar, ousar, sem extrapolar mais do que eu me permitiria. Claro que ainda está cedo pra eu debatar esse tema, de complexidade máxima, mas fica aqui o meu questionamento: Modas, quem está livre?




Modas, quem está livre?


Eu tenho notado que as pessoas andam meio de saco cheio das modas, meus olhos se abriram devido minhas leituras  constantes em busca de resposta pro meu futuro TCC, Gucci virou quase que capa oficial de todas as publicações existentes no mercado , e a Prada acompanhou, a Chanel tem sido alvo de ódio de fashionistas mundo a fora. Nesse meio de coisas que vem e vão tão rápido, que um dia estão in e outro estão out, onde o over ganhou espaço ao lado do minimal, não é facil enxergar a moda com seus próprios olhos e seguir seus próprios gostos, seguir a moda se tornou involuntariamente, involuntário, sem medo de redundar.
Não há como não seguir a moda, mesmo se vestindo como se quer, todos fazem parte de um grupo e se não seguimos as modas das mags por aí, seguimos as modas do grupo ao qual pertencemos. Aquele que diz: "eu me visto como me sinto bem, não sigo a moda!" mente sem intenção de mentir.  Eu mesmo, gosto de inovar e pra mim tudo andava muito bobo, pois eu não queria exagerar mas não aguentava mais me vestir da mesma forma, até que  renasce (E vale a pena prestar atenção nessa palavra quando se pensa em moda atualmente: RENASCER) com força total a Moda do color block, que atualmente é a unica que me empolga e me apetece a experimentar, ousar, sem extrapolar mais do que eu me permitiria. Claro que ainda está cedo pra eu debatar esse tema, de complexidade máxima, mas fica aqui o meu questionamento: Modas, quem está livre?




quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O homem, a moda e elas.



A Imagem masculina vem sendo modificada com o passar dos anos. O homem de hoje, em sua grande maioria, é moderno, vaidoso e entende de moda. Muito dessa evolução se deve ao crescimento do espaço da mulher na sociedade, ditando suas próprias regras, podendo opinar e dizer o que gosta e o que não gosta, tendo o privilégio de ser conquistada e não precisar conquistar. Em entrevista Mônica Okano (Kika), 20 anos, estudante de comunicação social, blogueira dona do Itskika blog, disse sobre o estilo do homem atual: “Estilo é saber quem você é e hoje em dia nada melhor do que um homem com personalidade forte, educação, que saiba respeitar seus gostos e ainda saiba te tratar como uma verdadeira lady sendo amada né?”, o que fomenta que o estilo do homem está diretamente ligado ao universo feminino. Bruna Faria, 21 anos, estudante de comunicação social, contribuinte do blog fashion-dealer.: “Foi-se o tempo em que homem não deveria ligar para a moda.”.

 Quanto ao “estilo” no relacionamento as blogueiras mostram pensamentos um pouco diferentes. Bruna acha que é essencial em uma relação que o homem entenda de moda: “O homem tem um certo senso para o vulgar e o ridículo que a mulher não tem, é muito bom poder contar com uma pessoa que vai ser sincera na hora de dar sua opinião. Sem contar que homem que gosta e entende de moda e se veste bem é uma delícia.”. por outro lado quando questionada se as mulheres modernas procuram um homem que o acompanhe no gosto pela moda, Kika já acha que é bom, sim, o homem entender e gostar de moda, mas que não é essencial: “Acredito que esse fator não seja o principal ou de extrema importância. No entanto, caso elas encontrem alguém que saiba se vestir incrivelmente e que seja seu companheiro nas horas de shopping, seria perfeito!”.

 A moda em si tem se transformado de maneira rápida, e agregando valores de outras culturas em cada canto do mundo, a cada nova estação. Estilistas do mundo todo ditam diferentes tendências para moda masculina, até pouco tempo a atrás incogitáveis, tais como os kilts, marca registrada de ninguém menos que Marc jacobs e os crochês, que variam desde a linha industrial até o artesanal. Grande parte dessa evolução se deve a moda européia, principalmente com Coco Chanel que tirava elementos da moda masculina e incorporava ao vestuário feminino, o que fez com que se iniciasse um pensamento de “Por que não o contrário?”. Mas, é do homem brasileiro ousar na moda? Em várias semanas de moda, me deparei com algumas novidades masculinas como, por exemplo, usar cinto marcando a cintura, calças com a barra em forma de punho de camisa, estampas extravagantes em blazers e ao meu ver, Thom Browne quis inovar demais a moda masculina! Rs. Na verdade, eu acho muito difícil essa moda acabar vindo para o Brasil. Mesmo porque ainda somos um povo que não lida bem com o diferente.”, diz Kika ao ser questionada sobre o assunto e Bruna Segue a mesma linha de raciocínio: “Acho a moda brasileira, ainda e infelizmente, muito precária. Se você for a uma loja de roupas infantis verá que há muito mais artigos para meninas do que para meninos. Não acho que essa tendência firme por aqui, visto que os homens brasileiros são meio "rústicos" e ainda tem um certo preconceito com a moda. Foi uma batalha fazê-los vestir camisa rosa, imagine só uma casaco com tachas, ombreiras e babados.”.E quando o assunto é “o que não usar?” as regatas, calças largas, bermudões e camisetas com muitos detalhes foram unânimes.

“Homens são como sapatos: por mais que você tenha de procurar, vai sempre haver um que se encaixa perfeitamente no seu pé. Às vezes você precisa mudar de estilo e procurar em muitas lojas. Às vezes você tem de se abrir para experimentar novos estilos. Às vezes você fica louca para usar um sem estilo algum, mas deliciosamente confortável(...)”, diz Kika, que confirma o que disse no começo da matéria, o homem ter estilo é algo facilitador no relacionamento, ajuda, mas não é algo principal. O importante é se sentir bem tratada, confortável e feliz com ele ao seu lado.

O homem, a moda e elas.



A Imagem masculina vem sendo modificada com o passar dos anos. O homem de hoje, em sua grande maioria, é moderno, vaidoso e entende de moda. Muito dessa evolução se deve ao crescimento do espaço da mulher na sociedade, ditando suas próprias regras, podendo opinar e dizer o que gosta e o que não gosta, tendo o privilégio de ser conquistada e não precisar conquistar. Em entrevista Mônica Okano (Kika), 20 anos, estudante de comunicação social, blogueira dona do Itskika blog, disse sobre o estilo do homem atual: “Estilo é saber quem você é e hoje em dia nada melhor do que um homem com personalidade forte, educação, que saiba respeitar seus gostos e ainda saiba te tratar como uma verdadeira lady sendo amada né?”, o que fomenta que o estilo do homem está diretamente ligado ao universo feminino. Bruna Faria, 21 anos, estudante de comunicação social, contribuinte do blog fashion-dealer.: “Foi-se o tempo em que homem não deveria ligar para a moda.”.

 Quanto ao “estilo” no relacionamento as blogueiras mostram pensamentos um pouco diferentes. Bruna acha que é essencial em uma relação que o homem entenda de moda: “O homem tem um certo senso para o vulgar e o ridículo que a mulher não tem, é muito bom poder contar com uma pessoa que vai ser sincera na hora de dar sua opinião. Sem contar que homem que gosta e entende de moda e se veste bem é uma delícia.”. por outro lado quando questionada se as mulheres modernas procuram um homem que o acompanhe no gosto pela moda, Kika já acha que é bom, sim, o homem entender e gostar de moda, mas que não é essencial: “Acredito que esse fator não seja o principal ou de extrema importância. No entanto, caso elas encontrem alguém que saiba se vestir incrivelmente e que seja seu companheiro nas horas de shopping, seria perfeito!”.

 A moda em si tem se transformado de maneira rápida, e agregando valores de outras culturas em cada canto do mundo, a cada nova estação. Estilistas do mundo todo ditam diferentes tendências para moda masculina, até pouco tempo a atrás incogitáveis, tais como os kilts, marca registrada de ninguém menos que Marc jacobs e os crochês, que variam desde a linha industrial até o artesanal. Grande parte dessa evolução se deve a moda européia, principalmente com Coco Chanel que tirava elementos da moda masculina e incorporava ao vestuário feminino, o que fez com que se iniciasse um pensamento de “Por que não o contrário?”. Mas, é do homem brasileiro ousar na moda? Em várias semanas de moda, me deparei com algumas novidades masculinas como, por exemplo, usar cinto marcando a cintura, calças com a barra em forma de punho de camisa, estampas extravagantes em blazers e ao meu ver, Thom Browne quis inovar demais a moda masculina! Rs. Na verdade, eu acho muito difícil essa moda acabar vindo para o Brasil. Mesmo porque ainda somos um povo que não lida bem com o diferente.”, diz Kika ao ser questionada sobre o assunto e Bruna Segue a mesma linha de raciocínio: “Acho a moda brasileira, ainda e infelizmente, muito precária. Se você for a uma loja de roupas infantis verá que há muito mais artigos para meninas do que para meninos. Não acho que essa tendência firme por aqui, visto que os homens brasileiros são meio "rústicos" e ainda tem um certo preconceito com a moda. Foi uma batalha fazê-los vestir camisa rosa, imagine só uma casaco com tachas, ombreiras e babados.”.E quando o assunto é “o que não usar?” as regatas, calças largas, bermudões e camisetas com muitos detalhes foram unânimes.

“Homens são como sapatos: por mais que você tenha de procurar, vai sempre haver um que se encaixa perfeitamente no seu pé. Às vezes você precisa mudar de estilo e procurar em muitas lojas. Às vezes você tem de se abrir para experimentar novos estilos. Às vezes você fica louca para usar um sem estilo algum, mas deliciosamente confortável(...)”, diz Kika, que confirma o que disse no começo da matéria, o homem ter estilo é algo facilitador no relacionamento, ajuda, mas não é algo principal. O importante é se sentir bem tratada, confortável e feliz com ele ao seu lado.
RAINERX Google+ page contents