domingo, 26 de fevereiro de 2012

Sem medo de tentar o novo.



A internet pode ser um triunfo quando se trata em informação e trabalho. Ela abre portas pra que a gente descubra novas formas de se expressar e para que possamos primorar nossos conhecimentos a cerda de algo. Moda sendo minha paixão me cerco todos os dias com todas as formas de informação possível, que vão de sites de novos designers tão desconhecidos e inexperientes quanto eu até aos de grandes marcas de luxo que disponibilizam exatamente o que a gente não tem, conhecimento de quem faz a moda acontecer. Olhando o exemplo dessas grandes marcas e a luta desses novos designers, assim como muitas outras informações que coleto na internet ( acredito ser muito importante a gente ter não apenas acesso, mas informação generalista sobre o mundo que vivemos, politica, mercado, arte e cultura, principalmente por que hoje ele todo é globalizado) consigo moldar minha forma de trabalhar. Certamente apressado, mas dando um passo de cada vez. Oportunidades chegam para quem às procuram, mas colocar os carros na frente dos bois nunca soa uma coisa boa a se fazer. A internet  pra mim serve como uma janela de interesse é nela que consigo mostrar as coisas que gosto que faço como lazer ou focado no meu futuro, mas minha vida profissional na área apesar de já iniciada no momento em que comecei a desenvolver meus conhecimentos não está nem perto de se tornar literalmente profissional. 
Nos últimos meses o óssio me fez tentar muitas coisas que ainda não tinha feito, muita coisa certamente sem muito sentido do que eu estava fazendo, mas certamente influenciado por todos esses cacos que recolhi durante o último ano, que obviamente foi meu ano de aprender moda. Paixão, conhecimento e trabalho se misturam facilmente hoje em dia, justamente por conta da internet, mas são coisas distintas umas das outras, podem até se interligar em certo momento da vida, mas é necessário que todas as peças estejam juntas. Otimista, eu acredito muito em mim e em toda essa loucura que apesar de tantos maus créditos eu insisto em levar adiante como objetivo de vida. Desenhar algo que você acredita que alguém um dia vai querer usar é muito hipotético, mas muito revelador ao mesmo tempo. O desafio de se tornar atrativo e crescer é pessoal e só se consolida nessas tentativas, pequenas, assim como essas ilustrações em uma agenda, a cada novo livro lido, novo projeto escrito e antigos planos abandonados dando lugar á novos.















Eu nunca em toda minha vida havia havia desenhado ou sequer imaginado algo de conteúdo oriental, longe de ser algo original, me arrisquei no simples mas agradável vestido que imita um quimono sem dobras, fitas e até a tradicional gola. O cabelo é a imagem impregnada de Susie Bubble que nunca sai da minha mente, é pensar em uma oriental, certamente me lembro dela! A segunda Ilustração na verdade é um vício que eu tenho, o de desenhar miniatura de croquis nas folhas de caderno da faculdade, eu sempre estrago as folhas com matérias pois nem sempre eles saem nem mesmo bons, mas esse na agenda eu gostei pelos detalhes dos pés. O terceiro desenho eu não consigo me lembrar a referência, agradeceria se alguém se lembrasse por mim, mas há um design parecido e eu só adaptei o babado pra ficar maior. O quarto desenho era uma série deles, eu estava desenhando um por encomenda, que não é esse, mas bem parecido, e tive essa ideia enquanto esperava um ônibus, inspirado numa mala (wtf). Eu nunca descarto uma inspiração, eu nunca descarto uma referência, prefiro fazer um rabisco do que deixar aquele sentimento passar. Espero que vocês tenham gostado dos desenhos e da explicação de cada um. Logo teremos coisas, digamos, mais profissionais mal posso esperar pra mostrar tudo pra vocês. 












RAINERX Google+ page contents